Título: Ramkokamekra – Canela: Dominação e Resistência de um Povo Timbira no Centroeste Maranhense

Autor: Adalberto Luiz Rizzo de Oliveira

ISBN: 978-85-7862-816-1

Peso: 504g

Ano de publicação: 2019

380 páginas

Índios Canela /história

 

Sobre o livro:

 

Resumo: A formação histórica do atual Estado do Maranhão apresenta passagens insuficientemente explicadas, como a que se refere à sua consolidação territorial e à dominação das populações indígenas. O avanço das fronteiras econômicas coloniais pelos vales dos rios centrais da Capitania, especialmente o ltapecuru e o Mearim - sob o impulso de uma economia agro-exportadora, e de uma frente de expansão pastoril, que atingiria, entre meados do século XVIII e início do século XIX, o território formado por campos e cerrados entre os rios Parnaíba e Tocantins - confrontaria com cerca de quinze grupos étnicos autônomos conhecidos genericamente como "Timbiras", os quais exerceram longa resistência à sujeição territorial e étnica de seus grupos locais. No período das guerras de conquista contra as "bandeiras" vindas, sobretudo, de Caxias e Pastos Bons, os diversos grupos timbira desenvolveram formas de enfrentamento e convivência junto aos agentes coloniais - comandantes de bandeiras e de milícias, lavradores e criadores de gado vacum, dentre outros - com vistas à preservação de suas unidades étnicas e especificidades culturais. Esse estudo focaliza os processos de confronto, como guerras e alianças, que levaram vários grupos timbira à extinção, e outros à dominação pelos agentes da sociedade luso-brasileira colonial. A seguir, descreve a consolidação desse processo, através das políticas tutelares, e os modos pelos quais os grupos timbira do alto Grajaú e Mearim, especialmente aqueles que deram origem aos Ramkokamekra-Canela, fizeram valer as suas demandas junto à sociedade neocolonial no século XIX. Num terceiro momento, aponta para a intensificação dos conflitos e antagonismos existentes entre os Canela e os criadores do sertão pastoril, decorrentes da situação histórica estabelecida. A presença do Estado, através da ação indigenista do SPI, se expressaria nas tentativas em compatibilizar a "proteção" e o controle dos Ramkokamekra-Canela e de outros grupos indígenas, e os interesses da sociedade regional. Finalmente, o estudo demonstra que, ao contrário da aceitação passiva aos processos de dominação a que foram submetidos, os Ramkokamekra-Canela, assim como outros grupos timbira, desenvolveram estratégias de continuidade e afirmação étnica. Através de um movimento sócio-religioso baseado em elementos culturais próprios, combinados com práticas religiosas sertanejas, os Canela expressaram a sua compreensão do processo de dominação em que foram inseridos, e realizaram ações concretas para a reversão desse processo, colocando-se, portanto, como agentes da sua própria história

Ramkokamekra – Canela

R$ 45,00Preço

Livraria e Espaço Cultural AMEI - São Luís Shopping

Fixo: (98) 3251 3744

Whatsapp: (98) 9 8283 2560

Email: ameilivraria@gmail.com

AMEI LIVRARIA

Av. Prof. Carlos Cunha, nº 1000

Jaracaty, São Luís - MA

CEP: 65076-907

Atendimento 

Livraria e Espaço Cultural AMEI - São Luís Shopping:

(98) 3251 3744

Presidente: (98) 9 9612 2384 (WhatsApp)

1ª Secretária: (98) 9 8283 2560 (WhatsApp)

Email: ameilivraria@gmail.com

© 2019 Livraria AMEI

Nossas redes sociais 

  • Facebook
  • Instagram